Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 13 de abril de 2008

Chora, briga, ri e anda...

Título em andamento!

Por enquanto é apenas uma observação apuradíssima de uma garotinha de oito anos sobre a vida... (linda!).

Uma querida amiga me apontou que fazia tempo que não escrevia nada e cá estou.
Com um nó na garganta que ainda não se apresentou adequadamente para o meu entendimento, mas não importa. Acho sempre gostoso a sensação do nó na garganta.
Nó na garganta é geralmente uma prévia de uma sensação intensa. Ele me acompanha sempre que me emociono com alguma coisa, interna ou externa...
Músicas, filmes, alguns livros, pensamentos, insights, amor, medo, felicidade, um telefonema, uma folga, um emprego, uma jornada, uma conversa... os importantes momentos da minha vida vêm de mãos dadas com o nó.
O nó aparece quando dá uma vontade incontrolável de sorrir e ao mesmo tempo os olhos estão marejando... tem uma sensação gostosa no peito (que muita gente odeia!) que nos dá certeza de que é agente e ninguém mais que está vivendo aquilo.
O nó une corpo, mente e ambiente.

É como uma corrente emaranhada que precisa mexer e mexer para se desenredar...
Faço uma dissecção anamnética do nó.
Por que agora? O que foi que aconteceu a pouco que me tocou, que mexeu comigo?
O que alivia o nó? Dar vasão às lágrimas ou sair saltitando pela casa?
E assim ele vai se apresentando e me apresentando a mim mesma...

Ahh.. então quer dizer que essa história de estudar intensamente a todo minuto livre disponível não dá certo?!..
Humm... pelo visto eu preciso muito interagir e extravazar, ler textos passionais, ouvir aquelas músicas de cantar junto com os olhos fechados e balançando as pernas.. conversar com os sereszinhos que eu realmente amo...
Preciso?
Preciso!

Legal! Esse é um dos nós que dá vontade de sorrir..
"Sua tolinha, tentou se enganar de novo é??!!
Hehe" ele me diz... "lembra de mim?!"

Lembro sim, querido!
Bem vindo de volta e obrigada!

E como eu imaginava, o título serve (claro que ia servir).
É isso, estuda, chora, briga, ri e segue assim... tudo ao mesmo tempo. Não dá pra fazer uma coisa de cada vez...

Suspiros entremeados a um sorriso bobo estampado no rosto...