Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Músicas 2

Comentário para a música Pais e filhos, do artista Legião Urbana, feito por Mari
A comparação da cocaína com a tristeza vem da idéia de que as duas viciam; de que pessoas 'usam' a tristeza compulsivamente e têm até fissura por ela. O estado de tristeza pode ser tão constante que poderia ser comparado com a sua 'cidade' - lugar onde se vive permanentemente. Ele tenta explicar a constância da tristeza com o fato de que apenas os sonhos são perfeitos e a vida é feita de frustações. Nos últimos dois parágrafos que ele deixa transparecer sua linha de raciocínio contaminada pela depressão, desesperançado e aparentemente sem forças para 'trabalhar' em direção à felicidade. Porque sim, a felicidade não nos é dada é conquistada com esforço - 'disciplina, compaixão e ter bondade' são os exemplos que ele cita.

Músicas

"Dorme agora" é uma ironia. Logo depois que um conhecido tenta ou comete suicídio, a vida continua. E muitas vezes os familiares lidam com o acontecido com atenuações - de onde ele tira a caricatura de que "é só o vento lá fora". A letra toda é o desenrolar da tentativa de suicídio de um pai ou mãe e o que passa na cabeça de um filho depois disso. Passa de tudo! Por isso a variação de idéias. Ao mesmo tempo que se quer continuar no papel de filho, pedindo colo e limites, se torna clara a necessidade de amadurecimento e de ter que cuidar dos próprios pais. Concordo que o "você culpa seus pais por tudo..." pode ser bem abrangente e se aplicar a inúmeras questões. Mas eu entendo o último parágrafo com uma declaração de compreensão e aceitação com o acontecido e de que ele tanto entende quanto imagina que em um futuro o mesmo poderia acontecer com ele.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Passagens

"Acho que o imperfeito não participa do passado."


"Parece cocaína, mas é só tristeza; talvez tua cidade."


"Sonhos vêm, sonhos vão... o resto é imperfeito."


"Disciplina é liberdade; compaixão é fortaleza; ter bondade é ter coragem."